Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Visto de cima: plantas das cidades

Mäyjo, 18.04.15

Venetian Islands

Miami, Florida, USA.jpg

Miami, Florida, USA

25.783216°N 80.16052°W

 

As ilhas de Veneza são uma cadeia de seis ilhas artificiais localizados em Miami, Florida.

San Marino Island, Di Lido Island, e Rivo Alto Ilha são retratadas aqui. Enquanto bairros residenciais as ilhas têm alguns dos mais altos valores de propriedade na cidade, eles também estão entre os primeiros lugares encomendados para evacuar com antecedência em caso de alerta de um furacão.

Visto de cima

Mäyjo, 18.04.15

Tóquio à noite

Tokyo, Japan.jpg

Tóquio, Japão

35 ° 41'22.22 "N 139 ° 41'30.12" E

 

Tóquio, visto  à noite a partir da Estação Espacial Internacional, é a área metropolitana mais populosa do mundo, com mais de 37,8 milhões de pessoas.

Esta fotografia é cortesia da NASA, e faz parte do projeto "Cities at Night". Para ver mais fotos, visite a galeria aqui.

SÊRTAR, A CIDADE TIBETANA DE 40.000 MONGES E FREIRAS

Mäyjo, 18.04.15

Sêrtar alberga o Instituto Budista Larung Gar

FLATULÊNCIA DOS CANGURUS PODE AJUDAR A ABRANDAR ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

Mäyjo, 18.04.15

Flatulência dos cangurus pode ajudar a abrandar alterações climáticas

Depois de os cientistas iniciarem investigações para tentar reduzir a quantidade de metano – um gás com efeito estufa que é 20 vezes mais potente que o dióxido de carbono – produzido pelas vacas no seu processo digestivo, a comunidade científica dedica-se agora ao estudo das flatulências dos cangurus.

As flatulências dos cangurus possuem menos metano – menos 80% comparativamente com as flatulências das vacas –  e os cientistas acreditam que os intestinos destes animais, ricos em bactérias, podem ajudar a encontrar maneiras de arrefecer o planeta, refere o Grist.

Um novo estudo conduzido por investigadores australianos e publicado no The ISME Journal, explorou tracto digestivo dos cangurus e concluiu que as Blautias coccoides, Prevotellas, Oscillibacter e Streptococcus ajudavam os animais a metabolizar o dióxido de carbono e o hidrogénio. Em resultado, os gases dos cangurus são maioritariamente compostos por acetato e não metano.

Esta descoberta pode agora ajudar os cientistas a encontrarem dietas que tornem as flatulências das vacas menos ricas em metano, já que os gases produzidos pelas vacas são responsáveis por um quinto dos gases produzidos no sector da agricultura.

Foto:  mudei para flickr.com/rogianesi / Creative Commons